Gerenciamento de Crise: 5 dicas essenciais para lidar com crises de forma profissional

Separamos nossas melhores dicas de gerenciamento de crise para te ajudar!

Inevitáveis e imprevisíveis, uma crise pode acabar com a sua empresa. Seja uma crise interna, como um funcionário que está vazando informações confidenciais, ou externa, como o recente caso do Carrefour, ter uma boa equipe de gerenciamento de crise é essencial.

Muitas vezes, essas empresas que tem cases fracassados de gerenciamento de crise não tinham um plano de ação bem desenhado ou uma empresa especializada para auxiliar e agiram por impulso.

Por isso, para ajudar você, separamos nossas 5 melhores dicas para lidar com crises! Continue a leitura para conferir!

#1 SEGUNDOS FAZEM DIFERENÇA – MAS CUIDADO!

Quando falamos de gerenciamento de crise, todo segundo importa. A demora para uma resposta pode ser a diferença entre salvar ou arrasar sua reputação. Porém, isso precisa ser na medida certa.

Sim, uma solução rápida é importante – mas ela precisa ser tomada com calma e estratégia. Uma boa forma de lidar é o gestor se reunir com toda a equipe e tentar entender o problema a fundo, e então, buscar a melhor solução.

A Samsung deu uma ótima lição em 2016, quando seus celulares pegaram fogo. A empresa foi a primeira a dar a notícia oficial, assumiu a culpa e recolheu todos os aparelhos produzidos, oferecendo trocar ou indenizar todos os clientes envolvidos.

A transparência e o timing foram grandes aliados da marca para lidar com a situação.

#2 PARAR TUDO PODE NÃO SER A MELHOR SAÍDA

Manter a empresa funcionando também faz parte do gerenciamento de crise. O gestor deve evitar, a todo custo, que a crise contamine o ambiente corporativo. É importante que a equipe esteja tranquila e focada em suas atividades rotineiras.

Por isso, ter pessoas especializadas em gestão de crises é fundamental para o funcionamento de qualquer empresa. Enquanto ela trabalha cuidando do problema, o resto da equipe estará focado em fazer o negócio rodar.

#3 COMUNICAÇÃO INTERNA É ESSENCIAL

A comunicação é a chave para todos os tipos de relacionamento. Especialmente quando o tópico é crise. Para que um gerenciamento de crise seja feito de forma eficiente é importante que todos da empresa estejam falando a mesma língua – evitando turbulências e ramificações desastrosas.

#4 TER EMPATIA É FUNDAMENTAL

Independente do tipo de crise que você tem em mãos, se colocar no lugar das partes afetadas é muito importante.

Como você quer que sua empresa seja vista? Analise se as atitudes que estão sendo tomadas são posicionamentos de uma corporação que você gostaria de trabalhar ou confiaria a ponto de ser consumidor.

Se elas não são, é melhor você repensar sua estratégia de gerenciamento de crise.

#5 APRENDA COM OS ERROS

A parte boa das crises são as lições que elas trazem. O que funcionou? O que deu errado? O que pode se tornar um processo para lidar com crises futuras?

É importante que, uma vez que a poeira tenha abaixado e o problema solucionado, o gestor se junte com a equipe e entenda o que ocasionou a crise e o que poderia ter sido feito para evita-la. Isso é fundamental para evitar novas crises e, caso uma nova aconteça, chegar a soluções de forma mais ágil e eficiente.

Lidar com crises nunca é simples, porém com essas dicas no bolso, você já tem meio caminho andado para fazer um bom gerenciamento de crise.

Nós da Social Consultoria somos especialistas em auxiliar na gestão de crises.  Nossa rede de profissionais atua no aconselhamento e na intervenção prática dessas situações de emergência, apresentando soluções rápidas e eficientes em casos de incidente com funcionários, prestadores de serviço, um grupo de pessoas ou qualquer outra situação.

Entre em contato para saber mais detalhes!

Tem interesse em Gerenciamento de Crise? Entre em contato conosco!

Guia completo: Home Care e as tratativas do Convênio

Tudo o que você precisa saber sobre a relação entre o Home Care e convênios está aqui!

O Home Care é uma categoria de assistência médica que oferece diversos programas relacionados ao tratamento do paciente. Ele tem o objetivo de minimizar os sintomas debilitantes de patologias crônicas e doenças incapacitantes – como, por exemplo, AVC – aumentando a independência do individuo.

Porém como funciona a relação entre o Home Care e um convênio médico? Viemos responder essa questão! Continue a leitura para conferir!

QUANDO O CONVÊNIO COBRE O HOME CARE?

Em contextos onde os pacientes apresentam um grau altíssimo de dependência para funções básicas, as operadoras e seguradoras de saúde geralmente aplicam o home care. Entretanto, não é sempre que eles arcam com os custos.

Isso acontece porque geralmente, os contratos excluem a cobertura de atendimento domiciliar. E por conta disso, sem indicação médica, a cobertura não pode ser exigida pelo paciente.

Entretanto, quando falamos de uma extensão da internação hospitalar, por exemplo, onde há a necessidade de acompanhamento ininterrupto por tempo indeterminado, a cobertura pelo convênio pode ser exigida – estando previsto no contrato ou não.

5 ORIENTAÇÕES A RESPEITO DA OBRIGATORIEDADE DA COBERTURA DE HOME CARE

#5 Todos os tratamentos devem ser prescritos por um médico, justificando a necessidade de cobertura pelo plano.

#4 O direito ao home care atende o Direito à Saúde e Dignidade Humana – previstos pela Constituição. Portanto, não cabe à operadora de seguros opinar na conduta médica, já que ele que deve definir o que será melhor ao paciente.

#3 O não fornecimento de home care vai de encontro à inúmeros princípios e direitos dos consumidores, previstos por lei e normas da ANS. O tribunal de justiça de São Paulo inclusive tem um enunciado no tema:

Súmula 90 do Tribunal de Justiça de São Paulo“Havendo expressa indicação médica para a utilização dos serviços de “home care”, revela-se abusiva a cláusula de exclusão inserida na avença, que não pode prevalecer.”

#2 Caso seu médico recomende Home Care, peça a ele um relatório médico detalhado, justificando a necessidade dos tratamentos e prevendo a periodicidade deles.

#1 Submeta a prescrição para seu plano de saúde. Em caso de recusa, você pode buscar a cobertura do tratamento por meio de uma ação judicial.

A Social Consultoria também oferece o acompanhamento para doentes crônicos e tratamento Home Care – minimizando os custos de sinistralidade médica e promovendo a reintegração do paciente ao seu núcleo familiar. Quer saber mais? Clique aqui e confira todos os serviços oferecidos pela consultoria.